Biografia

Descendente de libaneses pelo pai, Esperidião Amin Helou, e de italianos pela mãe, Elza Marini, Esperidião Amin Helou Filho nasceu em 21 de dezembro de 1947, em Florianópolis. Irmão de Teresa, Elaine e Elisabeth, escolarizou-se com padres jesuítas e concluiu o ensino médio na cidade de São Paulo. Em 1969, com 22 anos de idade, formou-se em Administração pela Escola Superior da Administração e Gerência (ESAG) da universidade estadual catarinense (UDESC). É quando ingressa no serviço público, trabalhando na secretaria estadual de educação e cultura. No ano seguinte (1970), graduou-se em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Hoje, professor aposentado do curso de Administração da UFSC, o deputado Esperidião Amin sempre foi servidor público. Prefeito da capital desde quando tinha 27 anos de idade (1975/1978), é eleito deputado federal em 1978, assume o comando da secretaria estadual dos transportes em 1979 e se elege governador de Santa Catarina aos 34 (1983/1986). Novamente prefeito de Florianópolis em 1990, Esperidião exerce mandato de senador de 1991 a 1998, é presidente nacional do Partido Progressista Reformador (hoje PP) e candidato a Presidente da República em 1994. Torcedor entusiasmado do Avaí Futebol Clube e participante ativo da vida comunitária local, volta a governar o estado de 1999 a 2002.

Em 2003, fora da vida pública, Amin aproveita as oportunidades para voltar a estudar, levando sua experiência de governador para a certificação da academia. Com dissertação sobre Santa Catarina e a utilização de indicadores sociais na administração pública brasileira, em 2005 torna-se Mestre em Administração pela UFSC.

Em outubro de 2010, aos 63 anos de idade, há oito sem ocupar cargo público, elege-se deputado federal com a segunda maior votação do estado e a campanha eleitoral mais econômica. Antes de terminar o ano, defende tese de doutorado na Universidade Federal de Santa Catarina, propondo a utilização de indicadores de sustentabilidade ambiental na administração pública. E obtém o título de Doutor em Engenharia e Gestão do Conhecimento.

Ao longo do mandato de deputado federal, aprovou duas de suas propostas a PL 1023/2011, que proibiu o pedágio urbano nas rodovias e a PLP 177/2012, que definiu regras para os contratos do governo com as ONGs. Participou das Comissões do Plano Nacional de Educação, Comissão de Constituição Justiça e Cidadania e fez parte do Grupo de Trabalho da Reforma Política. Foi relator na CCJC da PEC  da Reforma Política (352/2013). É Coordenador do Forum Parlamentar Catarinense desde março de 2014. Também  Exerceu o papel fiscalizador das concessões rodoviárias, principalmente nas rodovias que cortam o Estado Catarinense. Diante dos abusos com a conivência da Agência Reguladora solicitou ao Tribunal de Contas da União que auditasse os contratos. Como resultado a empresa e a ANTT assinaram Termo de Ajuste de Conduta (TAC) que está sendo intensamente fiscalizado pelas entidades organizadas catarinense.

Na eleição de 2014, recebe a maior votação da história de santa catarina e é reeleito deputado federal.

Mesmo com a rotina lotada de eventos, o deputado encontra tempo para interagir no twitter e responder, pessoalmente, aos emails de eleitores, amigos, alunos e colegas. Às segundas-feiras, Amin costuma trabalhar em seu escritório no centro de Florianópolis.  Em Brasília, na Câmara Federal, fica terças, quartas e quintas-feiras. Nas sextas, retorna a Santa Catarina, por onde frequentemente viaja, para cumprir roteiro de compromissos políticos no interior do Estado.

Amin gosta de passar os domingos na companhia da família, na residência do bairro Bom Abrigo, ou na casa de praia em Ponta das Canas, norte da Ilha de Santa Catarina, para onde se mudam no veraneio.  Seus principais hobbies são a leitura, a pescaria, o futebol e o dominó. Casado com Angela Amin, companheira também na vida pública, é pai de João Antônio, administrador e deputado estadual, Maria, advogada e publicitária, e Joana, arquiteta.